ideiasinteressantes

uma carreira, uma postura e um blogue todinho meu

Já havia ensaiado um monte de vezes construir um blog direto no Todos Os Nomes – quem anda aqui faz tempo teve a chance de andar por todos os endereços “provisórios”. Mas sempre eu esbarrava num ou outro problema técnico e lá se vai a idéia, eu acabava voltando para o blog antigo.

Mas os meus problemas acabaram! Cansado de me sentir enfadado com a mesma cara, enquadrado com as mesmas colunas resolvi criar vergonha e aprender a fazer o próprio blog! aê! Migrei pro Linux, baixei o pacote do wordpress (enfim em português) e saí configurando tudo. Personalizado até certo ponto (afinal, ainda não domino esse tal de PHP), o novo blogue é bem mais maleável e surpresas podem aparecer a qualquer momento. Só tenho lamentado o fato de que não consegui ainda transferir o box de músicas. Questão de tempo.

Endereço novo da casa: http://www.todososnomes.com.br

Este é, ao mesmo tempo, o último pôste do antigo blogue e o primeiro deste novo. Por um tempo, este blogue vai continuar ativo, sem postagens, só a referência. Depois, ele se apaga. Como podem ver, nada se perdeu, a não ser algumas amarras. E isso, pra mim, é o mais importante. Boas vindas!

testa01.jpg

eu já sou velho pra estar aprendendo

A frase do título é só uma força de expressão, adianto logo. Aprender é um troço que não se acaba nunca, mas tenho uma nítida impressão que tá na hora de eu mudar um pouco essa prosa. Não quero mais descobrir coisas desagradáveis, isso tá me deixando cansado. Meu sonho é só me surpreender pras bandas das coisas boas, sabe? de repente perceber que fulano de tal tem uma idéia super massa, uma paixão pela vida e por coisas ótimas, isso é impagável! Não vou dizer que não exista gente assim porque estou encontrando com uma ou outra de vez em quando. O problema é que a média é pra baixo, meu filho, tá faltando gente com tesão nesse mundo!

Quando me deparo com essa estirpe é sempre de ruma, isso é verdadeiramente triste. Vem encangado logo uns cinco, seis, uma dúzia! imagina… Não tenho tanto estômago pra isso quanto gostaria, até consigo disfarçar (ainda) uma levíssima decepção, mas é fato: pra mim é mesmo que a morte. Gente pequena… acho melhor esquecer que existiu porque aí não fica rastro, nem na memória, dessa gente.

Pronto, purguei um tanto mais essa minha azia. Vai passando e daqui a pouco acaba.

Ah, vou colocar música nova no Box, em homenagem à Feira da Música 2008, da qual estou participando com gosto, apesar da vida ser dura.